Prefeito de Mesquita lança candidatos para tentar burlar resultado das eleições no município

 

Estratégia é tentar desbancar candidatura de Daniel Guerreiro, filho do ex-prefeito Gelsinho Guerreiro, com quem Jorge Miranda tem problemas pessoais. Waltinho Paixão e Cris Gêmeas são um dos personagens usados na disputa.

 

Prefeito lançou 9 candidatos em Mesquita/Foto: Reprodução

O Prefeito de Mesquita Jorge Miranda resolveu brincar com as eleições para deputado Estadual e incentivou o lançamento de dezenas de candidaturas na cidade.

O objetivo na verdade é impedir que a cidade eleja um deputado que venha se tonar sombra para seu projeto de reeleição em 2020. Se fazendo de Deus, Miranda manipula os aliados, promove divisão na cidade e brinca com o projeto político de diversas lideranças. O pano de fundo da estratégica maléfica ainda é a briga pessoal que Jorge Miranda tem com o ex-prefeito Gelsinho Guerreiro. Aos quatro cantos ele alardeia que não pode deixar que o jovem Daniel Guerreiro, filho de Gelsinho se eleja, pois isso poderia representar o ressurgimento de seu pai no cenário para 2020, mas na verdade todos sabem que Miranda não deseja apenas derrotar os Guerreiros, mas sim impedir que haja um vitorioso nesta disputa.

Por outro lado, os candidatos lançados por Miranda toparam entrar no jogo pensando também em se fortalecer para projetos futuros em 2020. Eles querem esquentar seus nomes nas urnas para nas próximas eleições tentarem ser vereadores ou vice-prefeito na chapa de reeleição do Jorge Miranda. A única exceção neste bloco, seria o vice-prefeito Waltinho Paixão, que não poderia mais disputar o mesmo cargo e se quiser participar do pleito em 2020 seria disputando a sucessão.

A maioria dos candidatos apresentados não reúnem condições eleitorais para vencer um pleito que individualmente é preciso conquistar cerca de 30 ou 40 mil votos. A cidade de Mesquita também tem um eleitorado pequeno, cerca de 130 mil eleitores e que em média comparecem nas urnas cerca de 90 votantes. Ou seja, se a população dividisse irmãmente os votos da cidade, cada candidato mão ultrapassaria a quantidade de 7 mil votos.

Vice-prefeito deixado de lado

A expectativa que se tinha em Mesquita era que Jorge Miranda fosse apoiar o vice-prefeito, Waltinho Paixão, como único candidato do governo para deputado Estadual. Dessa maneira reuniria condições onde a maioria dos votos fossem direcionados a Waltinho, que passaria ter chances na disputa. Mas isso não aconteceu. As pretensões de Waltinho Paixão não foram levadas em consideração e ele foi lançado a disputa nas mesmas condições de todos os outros. Jorge Miranda na verdade preferiu não correr o risco de ver seu vice-prefeito na Alerj e depois se transformar em adversário com chances de vencer as eleições em 2020.

 

Todos contra um

Mesmo sabendo que disputam uma eleição sem chance, a maioria destes candidatos participam do jogo montado pelo prefeito para tentar impedir a vitória do jovem Daniel Guerreiro, o único que representa o grupo de oposição na cidade.

Esses candidatos fantoches querem se beneficiar da máquina pública para crescer seus nomes na cidade para as eleições de 2020. Eles também têm a promessa de após as eleições e dependendo da votação que obtenha em seus bairros eles poderão ocupar cargos no governo municipal, até como secretários.

A estratégia parece não está dando muito certo, pois apesar de massacrado e perseguido a candidatura, Daniel Guerreiro cresce a cada dia e lidera todas as sondagens, pesquisas ou enquetes realizadas na cidade.

A população de mesquita parece ter de fato identificado na candidatura de Daniel, o voto de protesto contra o governo municipal que hoje tem 70% de rejeição.

 

Vereadores de olho na vaga de vice 

Os vereadores eleitos em 2016 e que foram lançados por Miranda para deputado, sonham, na verdade em ocupar a vaga de Waltinho Paixão em 2020 e se tornarem vice-prefeito. Eles querem se credenciar para esta disputa e buscam se fortalecer nas urnas. Nenhum desses espera de verdade chegar a Alerj em 2019.

Falando em vereadores, um foi indeferido

Vale relembrar que candidato Roberto Emídio teve sua candidatura impugnada nessas eleições. A decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) se deu porque ele não apresentou todas as documentações necessárias exigidas para entrar na disputa. Emídio tentou um recurso para reverter a decisão do relator Raphael Ferreira de Mattos e da maioria dos membros do plenário, porém nos autos do processo 0601080-83.2018.6.19.0000l continuou constando como indeferida a candidatura.

Com o indeferimento (negativa) o recurso será apreciado em fase de embargos de declaração e persistindo a decisão terá que ser julgado em Brasília. Acontece que o recurso pode não ser julgado em tempo hábil em razão da proximidade das eleições, e neste caso corre o risco de a votação dada ao candidato ficar zerada. Nesse caso, os votos atribuídos ao candidato podem não valer.

Conheça alguns candidatos lançados por Jorge Miranda

Waltinho Paixão – Vice-prefeito – Candidato a deputado pela terceira vez.  O esperado e que fosse o candidato natural do governo, mas foi preterido pelo temor de se tornar um nome forte para a sucessão em 2020.

Cris Gêmeas  – Vereadora em segundo mandato, antiga aliada do ex-prefeito Gelsinho Guerreiro e amiga de primeira hora de Jorge Miranda após a derrota de GG. Líder do governo na Câmara, é presidente do partido Comunista que defende a ideologia de gênero, mas também faz dobradinhas com deputados evangélicos.

Roberto Emidio – Vereador de primeiro mandato, tem base eleitoral na jacutinga e enfrenta problemas com a Justiça eleitoral para registra sua candidatura.

Gelson Henrique – Vereador de segundo mandato e tem base eleitoral em Banco de Areia.

Josué Pipas – Se notabilizou nas últimas eleições por acompanhar o ex-prefeito Gelsinho Guerreiro nas obras de construção da Ciclovia. Se tornou aliado de Jorge Miranda e sonha ser Secretario depois das eleições. Tem base eleitoral na Vila Emil.

Erica Gabriel – Filha do ex-vereador Almir da Chatuba, foi conselheira tutelar e candidata a vereadora duas vezes sem sucesso. Tem base eleitoral na Chatuba.

Zeca Pereira – É candidato na Chatuba, mesma região de Erica Gabriel.

Dudu 2D – Estreante na política, disputou a eleição de vereador em 2016 ficando distante da vitória. Aliado de Jorge Miranda atua na área de Rocha Sobrinho.

 Bunitão – Foi lançado para disputar os votos no bairro da Coréia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s