Câmara de Mesquita vira Barril de pólvora

Polícia investiga “motivação politica” no ataque a tiros na sede do Legislativo

Confusão prosseguiu na sexta feira com tentativa de vereadores governistas votarem mensagem que pode livrar prefeito da cassação em “sessão extraordinária

Tempo fechou mais uma vez e teve vereador sacando arma e colega infartando

O atentado contra a Câmara de vereadores de Mesquita, revela o clima de guerra e tensão nos bastidores da política no município. Pelo menos dez tiros foram disparados contra a porta de entrada da Casa Legislativa por volta das 23h da noite de quinta-feira. A polícia, no entanto, não descarta a hipótese de que o o ataque tenha tido motivações políticas.

O atentado ocorreu após um dia de muita polêmica. Horas antes, foi realizada uma sessão extraordinária na Câmara, convocada pelo prefeito da cidade, Jorge Miranda (PSDB), para tentar a validação de um empréstimo feito pela prefeitura em fevereiro de 2017, no valor de R$ 14 milhões do Fundo de previdência dos Servidores da prefeitura, o MesquitaPrev, sob a justificativa de pagar salários atrasados de servidores, o que motivou a cassação do mandato de Miranda em agosto do ano passado. No entanto, ele governa hoje por força de uma liminar da justiça.

Mas apenas seis, dos doze vereadores, fizeram quórum na sessão. Era necessário um mínimo de sete para referendar a continuidade da sessão extraordinária, que acabou sendo interrompida por falta de quórum.

Na sexta-feira (13), os vereadores da base governista tentaram realizar novamente uma sessão legislativa, desta vez utilizando a quadra do Tênis Clube de Mesquita, a fim de aprovar o empréstimo feito pelo prefeito junto ao MesquitaPrev, o que justificaria a sua absolvição no caso da liminar que será julgada na próxima terça-feira.

Mas o clima de confusão que tomou conta da sessão foi provocado por uma discussão entre os parlamentares, ocorrida horas antes na porta da casa do vereador Pebo Mineiro. Segundo relatos, um dos opositores envolvidos sacou uma arma durante a briga. Pebo passou mal e foi levado às pressas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Edson Passos.

O atentado foi assustador e espalhou pânico nas redondezas

Algumas pessoas que estavam num clube ao lado da Câmara, que fica na Rua Arthur Oliveira Vechi, no Centro do município, contaram que ouviram cerca de trinta disparos. Fotos mostram marcas de pelo menos oito tiros na porta do prédio.

A assessoria de imprensa da Casa informou que ainda não foi contabilizado o total de disparos que atingiu o imóvel. Em nota, a assessoria de imprensa da Câmara informou que, por orientação da polícia, o local foi isolado. O presidente da Casa, vereador Marcelo Biriba (PRB) disse que vai esperar as investigações:

“Vamos esperar as investigações. Graças a Deus ninguém ficou ferido, vamos aguardar”, afirmou o presidente.

Por telefone, policiais do 20º BPM (Mesquita) informaram que o batalhão não foi acionado para a Câmara. Procurada, a assessoria de imprensa da Polícia Militar informou o contrário: “Segundo o comando do 20º BPM (Mesquita), nesta sexta-feira (13/04), policiais militares foram acionados para verificar ocorrência na Câmara Municipal de Mesquita, no Centro de Mesquita, sendo informado no local que disparos foram feitos contra o imóvel. Não houve feridos”.

Em nota, a assessoria de imprensa da Câmara informou que não sabe o motivo do crime e afirma que vai aguardar as investigações da polícia.

Militantes da política, funcionários e vereadores se preocupam a cada dia com os rumos que vem tomando a política em Mesquita. Alguns temem pela própria vida e relembram o recente assassinato da vereadora Mariele Franco no Rio de Janeiro.

Política está em ebulição

O clima de guerra no município teve início no ano passado quando os vereadores instalaram no município uma comissão processante para apurar denúncia de que o Prefeito Jorge Miranda(PSDB) teria contraído um empréstimo junto ao Mesquita Previ no valor de R$ 14 milhões sem autorização legislativa como preconiza a lei . Ao final dos trabalhos da Comissão o prefeito teve seu mandato cassado no sétimo mês de sua gestão. Miranda obteve uma liminar no plantão judiciário do Tribunal de Justiça, medida cuja a manutenção sera julgada na próxima terça feira 17 de abril.

O episódio desencadeou em uma sequência de denúncias dos vereadores sobre possíveis desvios e desmandos no governo coma instalação de diversas CPI’s e por outro lado os vereadores começaram a enfrentar investigações da Delegacia Fazendária e do Ministério Público sobre supostas fraudes em contratos e licitações culminando na realização de operação com mandados de busca e apreensão de documentos na casa do Presidente, do Vice e na sede do legislativo.

Um dia após a busca da Polícia e as acusações feitas ao vereador Marcelo Biriba, sua mãe não suporta e vai a óbito em razão de um infarto fulminante e na mesma noite o carro do vereador Roberto Emídio, Secretário da Casa, é alvejado a tiros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s